7th International Symposium on Justice : Schedule / Programação 

VII Simpósio Internacional sobre a Justiça

7th International Symposium on Justice

“Neuroscience, Law, Social Epistemology & Ethics”

“Neurociência, Direito, Epistemologia Social e Ética”

BrAINs : Brazilian-American Initiatives in Neuroscience & the Humanities (University of Miami and Pontifical Catholic University at Porto Alegre – PUCRS) 

Pontifical Catholic University at Porto Alegre, Brazil

P U C R SNovember 23-27th, 2015

Venue: Auditorium Building 50 PUCRS (Economics)

Local: Auditório do Prédio 50 (FACE) – PUCRS

 

Schedule / Programação

Monday Nov 23 7:00 pm Segunda Noite

Moderator: Thadeu Weber

Justice Symposium Poster

Justice Symposium Poster

(PUCRS)

Carlos Sávio Teixeira (UFF)

 

João Carlos Brum Torres (UCS/CNPq), República e Imparcialidade: Considerações sobre Rousseau, o Ideal Republicano e os Limites Epistêmicos e Normativos da Política

Tues Nov 24 2:00 pm Terça Tarde

Mesa-Redonda Teoria Crítica e Justiça Social

Moderator: Thadeu Weber (PUCRS)

Karen Franklin (UFPR), Desenvolvimento das capacidades humanas e a contribuição da “Ethic of care”

Filipe Campello (UFPE), Sobre a virada afetiva na teoria crítica

Emil Sobottka (PUCRS/CNPq)

Celso M. Pinheiro (UFPR), Direito a ter direitos: da segurança jurídica à incerteza da justiça

Marcos Fanton (UFPE), O ponto de vista de Rawls: Proposta de uma interpretação sistemática do equilibrio reflexivo

 

Tues Nov 24 7:00 pm Terça Noite

Moderator: Draiton Gonzaga de Souza (PUCRS)

Cinara Nahra (UFRN), Neuroética: Uma revisão sobre os mecanismos neurais do altruismo

Delamar Volpato Dutra (UFSC/CNPq)

 

Wed Nov 25 2:00 pm Quarta Tarde

Roundtable on Neuroscience and Philosophy

Moderator: Cinara Nahra (UFRN)

Jaderson da Costa (InsCer/PUCRS/CNPq)

Alexandre Franco (InsCer/PUCRS)

Augusto Buchweitz (InsCer/PUCRS)

Fabricio Pontin (PUCRS)

Nythamar de Oliveira(PUCRS/CNPq), The Normative Reconstruction of the Social Brain

 

Wed Nov 25 7:00 pm Quarta Noite

Moderator: Nythamar de Oliveira (PUCRS)

Lucina Q. Uddin (University of Miami), Neuroimaging and cognitive neuroscience: Conceptual and methodological considerations in studying the human brain

Alfredo Pereira (Unesp), Consciousness Theory Beyond Cognitive Neuroscience

Thurs Nov 26 2:00 pm Quinta Tarde

Mesa-Redonda Democracia e Epistemologia Social

Moderator: Agemir Bavaresco (PUCRS)

Felipe Müller (PUCRS), Boatos, Autonomia e o Mercado das Ideias

Tatiana Vargas Maia (Unilasalle), O anti-anti universalismo de Martha Nussbaum: Apontamentos de uma proposta de liberal e internacionalista

Luiz Paulo Rouanet (UFSJ), Revisitando o Direito dos Povos

Thadeu Weber (PUCRS), Fundamentação moral do liberalismo político em Rawls

Letícia Albuquerque (UFSC), Justiça ecológica e os limites do desenvolvimento

 

Thurs Nov 26 7:00 pm Quinta Noite

Moderator: Fabricio Pontin (PUCRS/PNPD)

John Sarnecki (University of Toledo), Knowledge and the Flow of Disinformation

Marcelo de Araújo (UERJ/UFRJ/CNPq), The ethics of editing the human genome

 

Fri Nov 27 2:00 pm Sexta Tarde

Mesa-Redonda Teoria Crítica e Democracia Representativa

Moderator: Katia Etcheverry (PUCRS/PNPD)

Wilson Levy (Escola Paulista da Magistratura/Uninove)

Brunela de Vincenzi (UFES)

Agemir Bavaresco (PUCRS), Lógica das Redes Sociais, Opinião Pública e Representação Sociopolítica

Tânia Aparecida Kuhnen (UFOB), A integração entre justiça e cuidado nas relações morais

 

Fri Nov 27 7:00 pm Sexta Noite

Moderator: Teresa Schneider Marques (PUCRS)

Maria de Lourdes Borges (UFSC/CNPq), Ética e Emoções

Website: https://gttj.wordpress.com/

Mesas Redondas / Roundtables Tues-Fri morning

(Comunicações/Call for Papers)

  1. Perspectivas em Teoria Crítica: terça 24/11 a partir das 8:00 h
    Reinaldo Bueno Jr e Andreia Alves, A teoria de Niklas Luhman entre devaneios (UNINOVE / Graduandos)
    Jorge Armindo Sell, É possível uma teoria critica de matriz ética? (UFSC/Doutorando)
    Luiz Philipe de Caux, Reconstrução Normativa e o momento da crítica: entre patologias sociais, paradoxos e desenvolvimentos normativos desviantes (UFMG/Doutorando)
    Guilherme Michelotto Böes, Resistência e Experiência Urbana: Por Novos Significados dos Espaços Públicos Urbanos (PUCRS/Doutorando)
    Jeverton Soares dos Santos, Elementos para uma crítica moral do capitalismo na Dialética do Esclarecimento (PUCRS / Doutorando)
    Diana Piroli, Filosofia contemporânea e a temática da humilhação: uma análise a partir de Nussbaum, Honneth e Margalit (UFSC / Mestranda)
  2. Choice, Justice and Dialogue: Wed Nov 25 at 8:00 a.m.
    Diogo Ramos, The Neoliberal War of Ideas (UFSC / Doctor)
    Nunzio Ali, Critical Theory, Relations of Domination, and a Certain Idea of Social Justice (UFSC / Doctoral student)
    Camila Barbosa, Motivation and Commitment: Sen’s Approach to Rational Choice Theories (PUCRS / Master’s student)
    Carlos Roberto Ferreira, The Aiming Arrow: From individual to Social Choice (PUCRS / Doctoral student)
    Fabio Tomkowski, About Moral Cognitive Choices (PUCRS / Master’s)
    Stephane Dias, Agency and the Pragmatics of Conversation (PUCRS/Doctoral student)
  3. Teorias da Justiça Contemporâneas: quinta 26/11 a partir das 8:00 h
    Francisco Jozivan Guedes, Para além do Dilema Redistribuição-Reconhecimento: Nancy Fraser e a Concepção Bidimensional de Justiça (PUCRS / Doutorando)
    Jaderson Borges Lessa, John Rawls e a Liberdade de Consciência (PUCRS / Doutorando)
    João Carlos Bassani, O entendimento da experiência e a experiência do entendimento (UERJ / Doutorando)
    Felipe Karasek, Perspectivas políticas na filosofia do jovem Nietzsche. (PUCRS / Doutorando)
    Juliana Ribas, Análise Econômica dos Impostos sobre o Pecado (PUCRS / Mestranda)
  4. Justiça e Direito: sexta 27/11 a partir das 8:00 h
    Jonathan Elizondo Orozco e Camila Mabel Kuhn, Fecundación In Vitro em Costa Rica: ¿Un caso de Derechos Humanos o de epistemología jurídica? (UFSC/Doutorando)
    Maria Alice da Silva, Uma análise sob o ponto de vista interno do Direito na teoria de Hart (UFSC / Doutoranda)
    Jordan Michel Muniz Hume, Hegel e Mill: A liberdade enquanto ideal no empírico (UFSC / Doutorando)
    Henrique Raskin, Natureza e Espírito no Monismo de Triplo Aspecto (PUCRS / Doutorando)
    Rubin Assis da Silveira Souza, A indeterminação do sentido das normas para Hans Kelsen (UFSC / Doutorando)

Comissão Organizadora / Organizing Committee:

Prof. Dr. Agemir Bavaresco (PUCRS/Coordenador do PPG-Filosofia)

Prof. Dr. Delamar Volpato Dutra (UFSC/Pesquisador do CNPq)

Prof. Dr. Emil A. Sobottka (PUCRS/Pesquisador do CNPq)

Prof. Dr. Fabricio Pontin (PUCRS/Pesquisador PNPD)

Prof. Dr. Ingo W. Sarlet (PUCRS/Coordenador do PPG-Direito)

Prof. Dr. Jaderson da Costa (PUCRS/Diretor do InsCer/Pesquisador do CNPq)

Prof. Dr. Nythamar de Oliveira, Coordenador/Chair (PUCRS/Pesquisador CNPq)

Prof. Dr. Thadeu Weber (PUCRS/Coordenador do GT Teorias da Justiça)

 

Comissão Científica / Advisory Board :

Prof. Dr. Alessandro Pinzani (UFSC/Pesquisador do CNPq)

Prof. Dr. Alfredo Storck  (UFRGS/Pesquisador do CNPq)

Prof. Dr. Denilson Werle (UFSC/Pesquisador do CNPq)

Prof. Dr. Draiton Gonzaga de Souza (PUCRS/Decano da Escola de Humanidades)

Prof. Dr. Luiz Bernardo Leite Araújo (UERJ/ Pesquisador do CNPq)

Prof. Dr. Marcelo de Araújo (UERJ/UFRJ/ Pesquisador do CNPq)

Prof. Dr. Marcos Nobre (Unicamp/Pesquisador do CNPq)

Profa. Dra. Miriam Madureira (UFABC)

Profa. Dra. Teresa Schneider Marques (PUCRS, Centro Brasileiro de Pesquisas em Democracia)

 

Publicado em Theories of Justice | Deixe um comentário

Call for Papers atualizada: VII Simpósio Internacional sobre a Justiça

VII Simpósio Internacional sobre a Justiça

7th International Symposium on Justice

 “Neuroscience, Law, Social Epistemology & Ethics”

 “Neurociência, Direito, Epistemologia Social e Ética”

 Pontifical Catholic University at Porto Alegre (PUCRS), Brazil

November 23-27th, 2015

 Website:

https://gttj.wordpress.com/

 

Call for Papers / Chamada para Inscrição de trabalhos

Inscrição de trabalhos (Comunicações)

  1. As Comissões Organizadora e Científica selecionarão os trabalhos submetidos com base nos seguintes critérios: pertinência temática à área de pesquisa em teoria política, filosofia social, direito ou ciências sociais e criminais; qualidade acadêmica do trabalho, considerando o nível de pós-graduação e pesquisa do proponente; observância estrita dos prazos divulgados.
  1. prazo final para submeter trabalhos com respectivos resumos (de 200 a 500 palavras, com título, nome, endereço e e-mail do autor) é 30 de julho de 2015. Os trabalhos recebidos após essa data não serão considerados.
  1. Todos os resumos e trabalhos devem ser submetidos em uma das três línguas do evento: português, espanhol ou inglês. Apenas os trabalhos apresentados no Simpósio serão considerados para publicação nos Anais / Proceedings ou em e-book.
  1. Os trabalhos não devem exceder 15 páginas, incluindo notas e bibliografia, com o resumo, digitalizados em Word ou RTF, fonte Times New Roman 12, espaço 1,5 e margens de 2,5 cm.
  1. Todos os resumos e trabalhos devem ser enviados unicamente por e-mail, como arquivo anexo (attached file), aos 3 endereços de e-mail abaixo:

nythamar@yahoo.comfpontin@gmail.comdjvdutra@yahoo.com.br

  1. Trabalhos que não se conformam a essas normas serão desconsiderados. Os autores dos trabalhos selecionados serão notificados por e-mail até 30 de agosto de 2015.

Requirements for the Submission of Contributed Papers

  1. The Organizing and Scientific Committees will select submitted papers according to the following criteria: relevance to an appropriate area of research in political theory, social philosophy, law or social and criminal sciences; academic worth of the contributed paper, taking into account the graduate work and scholarship of proponent; strict compliance with the deadlines.
  1. The submission deadline is July 30, 2015, for sending a preliminary version of the paper with abstract (between 200 and 500 words, with title, author’s name, mailing and e-mail addresses). Papers received after this date will not be considered.
  1. All abstracts and papers must be submitted in one of the three languages of the Symposium: Portuguese, Spanish or English. Only papers actually read at the Symposium will be considered for publication in the Proceedings or e-book.
  2. Contributed papers should not exceed 15 pages, including footnotes and bibliography, with abstract, and should be word processed in Word or RTF format, font Times Roman 12, line spacing 1.5, margins 2.5 cm.
  1. All submitted abstracts and papers must be solely sent as attachment by email to the three email addresses below:

nythamar@yahoo.comfpontin@gmail.comdjvdutra@yahoo.com.br

  1. Submitted papers which do not comply with these guidelines will not be considered. Those whose proposals have been accepted will be informed by email until the 30th of August, 2015.

 

Publicado em Theories of Justice | Deixe um comentário

VII Simpósio Internacional sobre a Justiça : Call for Papers / Chamada para Inscrição de trabalhos

VII Simpósio Internacional sobre a Justiça

7th International Symposium on Justice

 “Neuroscience, Law, Social Epistemology & Ethics”

 “Neurociência, Direito, Epistemologia Social e Ética”

 Pontifical Catholic University at Porto Alegre (PUCRS), Brazil

November 23-27th, 2015

 Website:

https://gttj.wordpress.com/

 

Call for Papers / Chamada para Inscrição de trabalhos

Inscrição de trabalhos (Comunicações)

  1. As Comissões Organizadora e Científica selecionarão os trabalhos submetidos com base nos seguintes critérios: pertinência temática à área de pesquisa em teoria política, filosofia social, direito ou ciências sociais e criminais; qualidade acadêmica do trabalho, considerando o nível de pós-graduação e pesquisa do proponente; observância estrita dos prazos divulgados.
  1. O prazo final para submeter trabalhos com respectivos resumos (de 200 a 500 palavras, com título, nome, endereço e e-mail do autor) é 30 de julho de 2015. Os trabalhos recebidos após essa data não serão considerados.
  1. Todos os resumos e trabalhos devem ser submetidos em uma das três línguas do evento: português, espanhol ou inglês. Apenas os trabalhos apresentados no Simpósio serão considerados para publicação nos Anais / Proceedings ou em e-book.
  1. Os trabalhos não devem exceder 15 páginas, incluindo notas e bibliografia, com o resumo, digitalizados em Word ou RTF, fonte Times New Roman 12, espaço 1,5 e margens de 2,5 cm.
  1. Todos os resumos e trabalhos devem ser enviados unicamente por e-mail, como arquivo anexo (attached file), aos 3 endereços de e-mail abaixo:

nythamar@yahoo.com, fpontin@gmail.com, djvdutra@yahoo.com.br

  1. Trabalhos que não se conformam a essas normas serão desconsiderados. Os autores dos trabalhos selecionados serão notificados por e-mail até 30 de agosto de 2015.

Requirements for the Submission of Contributed Papers

  1. The Organizing and Scientific Committees will select submitted papers according to the following criteria: relevance to an appropriate area of research in political theory, social philosophy, law or social and criminal sciences; academic worth of the contributed paper, taking into account the graduate work and scholarship of proponent; strict compliance with the deadlines.
  1. The submission deadline is July 30, 2015, for sending a preliminary version of the paper with abstract (between 200 and 500 words, with title, author’s name, mailing and e-mail addresses). Papers received after this date will not be considered.
  1. All abstracts and papers must be submitted in one of the three languages of the Symposium: Portuguese, Spanish or English. Only papers actually read at the Symposium will be considered for publication in the Proceedings or e-book.
  2. Contributed papers should not exceed 15 pages, including footnotes and bibliography, with abstract, and should be word processed in Word or RTF format, font Times Roman 12, line spacing 1.5, margins 2.5 cm.
  1. All submitted abstracts and papers must be solely sent as attachment by email to the three email addresses below:

nythamar@yahoo.com, fpontin@gmail.com, djvdutra@yahoo.com.br

  1. Submitted papers which do not comply with these guidelines will not be considered. Those whose proposals have been accepted will be informed by email until the 30th of August, 2015.

 

Comissão Organizadora / Organizing Committee:

Prof. Dr. Agemir Bavaresco (PUCRS/Coordenador do PPG-Filosofia)

Prof. Dr. Delamar Volpato Dutra (UFSC/Pesquisador do CNPq)

Prof. Dr. Emil A. Sobottka (PUCRS/Pesquisador do CNPq)

Prof. Dr. Fabricio Pontin (PUCRS/Pesquisador PNPD)

Prof. Dr. Ingo W. Sarlet (PUCRS/Coordenador do PPG-Direito)

Prof. Dr. Jaderson da Costa (PUCRS/Diretor do InsCer/Pesquisador do CNPq)

Prof. Dr. Nythamar de Oliveira, Coordenador / Chair  (PUCRS/Pesquisador do CNPq)

Prof. Dr. Thadeu Weber (PUCRS/Coordenador do GT Teorias da Justiça)

 

Comissão Científica / Advisory Board :

Prof. Dr. Alessandro Pinzani (UFSC/Pesquisador do CNPq)

Prof. Dr. Alfredo Storck  (UFRGS/Pesquisador do CNPq)

Prof. Dr. Denilson Werle (UFSC/Pesquisador do CNPq)

Prof. Dr. Draiton Gonzaga de Souza (PUCRS/Decano da Escola de Humanidades)

Prof. Dr. Luiz Bernardo Araújo (UERJ/ Pesquisador do CNPq)

Prof. Dr. Marcelo de Araújo (UERJ/UFRJ/ Pesquisador do CNPq)

Prof. Dr. Marcos Nobre (Unicamp/Pesquisador do CNPq)

Profa. Dra. Miriam Madureira (UFABC)

Profa. Dra. Teresa Schneider Marques (PUCRS, Centro Brasileiro de Pesquisas em Democracia)

Guest Speakers / Palestrantes Convidados :

Roberto Mangabeira Unger (Ministro-Chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos / Harvard)

Renato Janine Ribeiro (Ministro da Educação / USP)

Jean-Christophe Merle (Universität Vechta)

Berit Brogaard (University of Miami)

Otavio Bueno (University of Miami)

Lucina Q. Uddin (University of Miami)

Elaine Van der Put (University of Miami)

Steven Butterman (University of Miami, Center for Latin American Studies)

Elijah Chudnoff (University of Miami)

John Sarnecki (University of Toledo)

Nina Atanasova (University of Toledo)

Kenneth Goodman (Director, Bioethics Program, University of Miami)

Sergio Litewka (Director of International Operations, University of Miami)

Belkys Torres (Academic Director, University of Miami, Latin American Studies Programs)

Dan Corrigan (University of Miami)

Paola de Cuzzani (University of Bergen, Norway)

Johannes Servan (University of Bergen, Norway)

David G. V. Vogt (University of Bergen, Norway)

Colin McLarty (Case Western Reserve University)

Marcos Nobre (Unicamp / CEBRAP / CNPq)

Alessandro Pinzani (UFSC/CNPq)

Miriam Madureira (UFABC)

Luiz Bernardo Leite Araújo (UERJ/CNPq)

Luiz Repa (USP/CEBRAP/CNPq)

Marcelo de Araújo (Direito UERJ/UFRJ/CNPq)

Noel Struchiner (Direito PUC-Rio/CNPq)

Delamar Volpato Dutra (Direito UFSC/CNPq)

Denilson Werle (UFSC/CNPq)

Rúrion Soares (USP/CEBRAP/CNPq)

Maria Isabel Limongi (UFPR / CNPq)

Alfredo Pereira Jr (Unesp)

Carlos Sávio Teixeira (UFF/Assessor Especial do Gabinete do Ministro de Assuntos Estratégicos)

Cinara Nahra (UFRN)

Maria de Lourdes Borges (UFSC)

Wladimir Lisboa (Direito UFRGS / CNPq)

Felipe Gonçalves Silva (UFRGS / CEBRAP)

Paulo B. C. MacDonald (Direito UFRGS)

Desembargador José Renato Nalini, Presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo

Wilson Levy (Direito Escola Paulista da Magistratura)

Luiz Paulo Rouanet (UFSJ)

André Berten (UERJ)

Filipe Campello (UFPE)

José Goldim (UFRGS/PUCRS)

Publicado em Theories of Justice | Deixe um comentário

Call for Papers: Roundtable do GTTJ no IX Principia International Symposium

Estimados colegas,

Convidamos todos interessados em submeter apresentações para a Roundtable do GTTJ no IX Principia International Symposium em Santa Catarina, Brasil. Trabalhos na área de Ética, Ética prática e Metaética, e Filosofia Política podem ser submetidos para análise.

1.O prazo final para submeter uma versão preliminar dos trabalhos com respectivos resumos (de 200 a 500 palavras, com título, nome, endereço e e-mail do autor) é 15 de março de 2015. Os trabalhos recebidos após essa data não serão considerados.

2. Os trabalhos não devem exceder 15 páginas, incluindo notas de rodapé e bibliografia, com o resumo, digitalizados no formato Word ou RTF, fonte Times Roman 12, espaço 1,5 e margens de 2,5 cm.

3. Todos os resumos e trabalhos devem ser enviados unicamente por email, como arquivo anexo (attached file), aos 2 endereços de email abaixo:

weberth@pucrs.br, fpontin@gmail.com

4. Trabalhos que não se conformam a essas normas serão desconsiderados. Os autores dos trabalhos selecionados serão notificados por email até 15 de abril de 2015.

Requirements for the Submission of Contributed Papers

1. The submission deadline is March 15th, 2015, for sending a preliminary version of the paper with abstract (between 200 and 500 words, with title, author’s name, mailing and e-mail addresses). Papers received after this date will not be considered.

2. Contributed papers should not exceed 15 pages, including footnotes and bibliography, with abstract, and should be word processed in Word or RTF format, font Times Roman 12, line spacing 1.5, margins 2.5 cm.

3. All submitted abstracts and papers must be solely sent as attachment by email to the 2 email addresses below:

weberth@pucrs.br, fpontin@gmail.com

4. Submitted papers which do not comply with these guidelines will not be considered. Those whose proposals have been accepted will be informed by email until the Abril 15th, 2015.

Publicado em Theories of Justice | Deixe um comentário

DESENVOLVIMENTO, PROCESSOS DE AVALIAÇÃO E QUALIDADE

Nythamar de Oliveira, PUCRS/CNPq

Introdução

Na esteira dos excelentes textos postados no Fórum de Debates da ANPOF, gostaria de tecer algumas breves considerações sobre os desafios que ainda subjazem ao desenvolvimento, consolidação e expansão de nossa comunidade filosófica brasileira, à luz dos processos de avaliação quantitativa e qualitativa de nossos Programas de Pós-Graduação (PPGs). A Avaliação do Sistema Nacional de Pós-Graduação (SNPG) que tem sido desenvolvida pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) desde 1998 tem assegurado, com efeito, o envolvimento e a participação cada vez mais inclusiva e representativa da nossa comunidade acadêmico-científica por meio de consultores ad hoc e dos representantes da Coordenação de Área da Filosofia. Em se tratando de dispositivos de avaliação implementados por pares, a sua legitimidade e competência têm sido consolidadas através de processos interativos da Coordenação de Área junto às diferentes instâncias, comissões de avaliação e conselhos técnico-científicos da CAPES, representando os PPGs e a comunidade filosófica como um todo. Todo docente sabe que a avaliação é uma atividade primordial para assegurar a qualidade dos cursos graduação em Filosofia e a fortiori dos cursos de Mestrado e Doutorado em Filosofia em nosso país. Que os nossos PPGs sejam sistematicamente avaliados não seria apenas algo inevitável, mas como bem observou o Presidente da ANPOF, Prof. Marcelo Carvalho, “a existência de critérios objetivos de avaliação é uma garantia republicana necessária em nosso contexto de pluralidade, equivalente aos processos públicos de seleção de docentes”. Gostaria de ater-me, neste breve texto, à importância de uma avaliação quantitativa qualificada para assegurarmos o desenvolvimento, a consolidação e a expansão sustentável de nossa comunidade filosófica brasileira.

 

1 – DESENVOLVIMENTO

Se nos desenvolvemos ao ponto de nos constituirmos hoje como uma das mais numerosas e ativas comunidades filosóficas do mundo, lembramos que somos também uma das mais heterogêneas, assimétricas e desiguais do ponto de vista qualitativo. O grande desafio atual seria, portanto, buscar um desenvolvimento sustentável, representativo e descentralizado. Podemos equacioná-lo através de três perguntas diretrizes, a saber:

1.1 – Como garantir que a expansão da área (ou seja, de 41 PPGs) não comprometa a sua representatividade de forma equitativa?

1.2 – Como assegurar a descentralização dos recursos e oportunidades?

1.3 – Como garantir um desenvolvimento sustentável de nossos PPGs, a médio e longo prazos, sem comprometermos a excelência acadêmica e a qualidade inerentes ao perfil de pesquisa aprofundada que almejamos e que já tem sido consolidada na nossa comunidade filosófica?

Podemos decerto pensar em várias propostas de gestão representativa para a avaliação, começando pela constituição das várias equipes de avaliadores ad hoc e de uma sistemática mais dinâmica e descentralizada (alternando, por exemplo, os membros das comissões de avaliação). É neste sentido que o debate sobre a Coordenação de Área da CAPES deve primar, como bem salientou o Prof. Danilo Marcondes neste mesmo Fórum, pela explicitação do que vem a ser o caráter qualitativo da avaliação em nossa área –sem detrimento da avaliação quantitativa— e pelo aprimoramento do formato atual da avaliação trienal, mudando-o na direção de um modelo mais descentralizado e diferenciado de avaliação, de forma a também contemplar os desafios já apontados da interdisciplinaridade e da internacionalização em nossa área. De resto, esses dois últimos são considerados os mais importantes desafios dos sistemas de avaliação de produtividade acadêmica, não apenas no Brasil mas no mundo hodierno. Tanto a interdisciplinaridade quanto a internacionalização devem ser fomentadas ainda em foro doméstico e preferencialmente já no início da formação acadêmica, quando discentes se iniciam na pesquisa científica e desenvolvem suas primeiras interlocuções críticas com seus pares, levando a sério o aprendizado de línguas estrangeiras como o inglês, o alemão e/ou o francês, e o diálogo, o reconhecimento e o entendimento mútuo a serem buscados e cultivados em nossa comunidade filosófica. Nas palavras de Marcondes, “não seremos reconhecidos enquanto comunidade filosófica relevante se nós mesmos não nos reconhecermos como tal e não praticarmos prioritariamente o diálogo crítico entre nós.”

2 – PROCESSOS NACIONAIS E INTERNACIONAIS

O Prof. Alfredo Storck destacou com grande propriedade, neste Fórum, que “não somente na Filosofia, mas em todas as áreas, esforços precisam ser feitos para que sejam criados mecanismos de avaliação que priorizem a qualidade das publicações. Caso contrário, o efeito indutivo da avaliação favorecerá a manutenção do taylorismo intelectual”. Decerto, esta tem sido uma das mais importantes contribuições da grande área das Ciências Humanas (dentro do Colégio das Humanidades, segundo a taxonomia da Avaliação da CAPES), em sua insistente afirmação do caráter qualitativo da avaliação a ser adotada em nossa área, valorizando particularmente o conteúdo e a qualidade das publicações de livros. Ademais, Storck observa com razão que o Documento de Área de 2013 ficou com uma formulação mais imprecisa do que o Documento de Área de 2010, justamente pela omissão de aspectos quantitativos, que foram retirados do texto anterior, quanto à “avaliação da produção intelectual docente dos cursos aptos a receberem notas 6 e 7”. A Coordenação de Área deve rever cada uma dessas mudanças sutis e reformulá-las através de processos consultivos de deliberação entre os membros da comissão e colegas consultores ad hoc.

Outrossim, digna de louvor tem sido igualmente a política adotada pela Presidência da CAPES e pela Diretoria de Avaliação, conduzindo e propiciando, em nível nacional e institucional, o desenvolvimento dos mecanismos procedimentais e critérios qualitativos e quantitativos da produção de docentes e discentes de nossos Programas de Pós-Graduação. Sobretudo nesse quesito específico da avaliação qualitativa, houve grande abertura e flexibilidade por parte da Presidência da CAPES e da Diretoria de Avaliação para dialogar com a Coordenação de Área da Filosofia. Outrossim, a avaliação quantitativa, aparentemente tão objetiva e imparcial para os pesquisadores das ciências naturais, exatas e tecnológicas, tem sido uma bête noire ou anátema entre muitos colegas da nossa área, que a desprezam ou suspeitam que venha a ser mais um recurso ideológico de dominação positivista ou tecnicista. Na verdade, a medição do fator de impacto de um periódico é feita de maneira quantitativa com o intuito preciso de avaliar a qualidade da revista ou publicação. Trata-se, portanto, de medir, por exemplo, a relação entre as citações anuais em relação ao total de citações de um mesmo periódico nos dois anos precedentes, e de utilizar tal fator de impacto como critério para avaliar a qualidade da publicação dentro de uma comunidade de especialistas. Há uma tendência mundial a adotar-se cada vez mais tais mecanismos de avaliação quantitativa visando assegurar uma avaliação qualitativa mais objetiva e imparcial também dentro das chamadas ciências humanas e sociais. Assim, a avaliação quantitativa pode e deve ser acatada em nossa área da Filosofia de forma crítica e criteriosa, de modo a evitar ambos extremos do “taylorismo intelectual” e do subjetivismo interpretativo.

Para os processos em nível nacional, a Diretoria de Avaliação da CAPES elaborou e já está implementando a utilização da Plataforma Sucupira, garantindo importantes avanços na avaliação de nossos PPGs, na medida em que assegura uma maior transparência dos dados para toda a comunidade acadêmica, assim como uma redução de tempo, dos esforços e das imprecisões na execução da avaliação, uma maior facilidade no acompanhamento da avaliação e, acima de tudo, uma maior confiabilidade, precisão e segurança das informações, que agora são totalmente gerenciadas de forma pública, eficiente e transparente. Temos, assim, além de maior facilidade e simplicidade no processo de coleta e envio das informações, uma visibilidade imediata das informações de cada PPG e maior agilidade no processo de solicitações e facilidade na comunicação junto a CAPES. Os Documentos de Área devem, portanto, ser aprimorados, tornando-se mais prospectivos do que retroativos para a avaliação trienal (ou quinquenal, para os cursos notas 6 e 7). Assim como já foram destacadas, questões críticas e que produzem desacordos entre pares como as avaliações quantitativas-qualitativas dos sistemas Qualis Livro e  Qualis Periódicos podem se beneficiar de uma abordagem que procure conjugar os aspectos quantitativos e qualitativos envolvidos.

Para os processos em nível internacional, a Coordenação de Área da Filosofia já acatou as diretrizes propostas pelo Sistema de Avaliação da CAPES quanto ao irreversível processo de internacionalização dos PPGs. Cabe-nos agora responder aos três desafios:

2.1 – Como efetivamente devemos implementar projetos de cooperação e parcerias internacionais com organicidade, reciprocidade e isonomia?

2.2 – Como desenvolver eventos, intercâmbios e programas de mobilidade acadêmica (incluindo dupla titulação) com colegas, pesquisadores, docentes e discentes de outros países sem esbarrar nos impedimentos que ainda persistem, como a falta de recursos em uma língua comum a ambas as partes ou uma lingua franca (por exemplo, a menos que nossos PPGs ofereçam também cursos ou eventos em inglês não conseguiremos atrair pesquisadores, docentes e discentes de outros países que não tenham fluência em português) ou como os problemas burocráticos de nosso País (por exemplo, para reconhecer titulação em instituições acadêmicas do exterior)?

2.3 – Como implementar projetos de pesquisa internacionais quando ainda temos alguma dificuldade em desenvolver parcerias e projetos de pesquisa interinstitucionais?

 

3 – COMUNIDADE FILOSÓFICA BRASILEIRA

Cremos que a comunidade filosófica brasileira atingiu um sólido patamar de maturidade, autoestima e respeitabilidade internacional, ao menos no que tange a todos os pontos em que obtemos grande acordo entre os colegas trabalhando nas mais diversas áreas e correntes da Filosofia. Acreditamos que os três desafios que nos colocamos nesse terceiro momento servem para fechar o círculo em nosso intento de justificar a importância de uma avaliação quantitativa qualificada para assegurarmos o desenvolvimento, a consolidação e a expansão sustentável de nossa comunidade filosófica brasileira, através de três perguntas diretrizes:

3.1 – Como implementar projetos de pesquisa interdisciplinar e fomentar a interdisciplinaridade a partir da Filosofia – entendida como área que mais “exporta” do que “importa” na construção do conhecimento e das mais diversas áreas do saber científico, artístico e cultural? Aqui já entrariam outras questões correlatas, que dizem respeito a problemas de coautoria e coorientação na pesquisa e produção interdisciplinar, na composição de corpo docente interdisciplinar (por exemplo, vários colegas que também participam de outros PPGs e integram pesquisas em outras áreas, muitas delas com caráter interdisciplinar).

3.2 – Como assegurar a formação de qualidade de docentes que tencionam dedicar-se ao ensino de Filosofia no Ensino Médio? Como expandir os modelos de programas de Mestrado Profissional em Filosofia, visando uma maior integração do Ensino Médio com o ensino superior e os PPGs?

3.3 – Como podemos trabalhar juntos na construção de uma comunidade filosófica brasileira onde sejam princípios norteadores o diálogo e o reconhecimento mútuo?

Cremos que esse momento de maturidade em nossa comunidade filosófica coincide com um momento importante em nosso processo de aprendizado, particularmente cristalizado na democratização da avaliação, tanto quantitativa quanto qualitativa. Esta tem sido, de resto, a verdadeira transparência que todos buscamos de forma diversificada e complexa. Neste sentido, cremos que a avaliação quantitativa da produção de docentes ou discentes vem também ao encontro de nosso zelo pela especificidade da pesquisa filosófica de qualidade. Afinal, toda avaliação de produtividade acadêmica, por mais qualitativa que seja, será sempre quantificável se mantiver o intento programático de procurar identificar pontos fortes e pontos fracos do desempenho docente e discente a serem melhorados, corrigidos ou preservados. Com efeito, foi somente graças à implementação de tais mecanismos de avaliação quantitativa que muitos programas menores ou de menor expressão no cenário nacional puderam ser finalmente reconhecidos, entre outras coisas, pela qualidade de suas publicações, a partir do momento em que começaram a ser avaliadas de forma quantitativa pelo sistema Qualis. O reconhecimento e a confiabilidade ancorados na qualidade acabam por ser avalizados pela análise quantitativa dos pares.

Podemos, assim, elencar os grandes avanços logrados pela comunidade filosófica brasileira nos últimos anos:

a) O espraiamento de Programas, em todos os quadrantes do Brasil, de um lado mostra a força de nossa Comunidade articular-se e organizar-se, e de outro, evidencia a descentralização e o crescimento de pesquisadores qualificados em todo o País.

b) O verdadeiro boom filosófico no mercado editorial (livros, periódicos, traduções, manuais de ensino da Filosofia) da produção filosófica no Brasil, mostra o avanço da produção intelectual de nossos pares.

c) Os Encontros Nacionais da ANPOF são um marco da exposição, afirmação e reconhecimento entre os colegas de tudo o que se está produzindo em nível de pós-graduação, de graduação e agora em ensino médio.

A comunidade filosófica brasileira está de parabéns pelas grandes conquistas e o rápido desenvolvimento na construção de um savoir faire que explicita a qualidade da nossa pesquisa e o viés interdisciplinar de nossos projetos, consolidando a nossa identidade filosófica inserida em cenários sempre mais inovadores.

 

Nythamar de Oliveira 

Publicado em gttj | Marcado com , , , | Deixe um comentário

VI International Symposium on Justice – videos

“A Critical Concept of Injustice: Trichotomy Critique, Explanation, and Normativity”
Prof. Dr. Marek Hrubec – Charles University, Prague, Czech Republic

Respondent: Prof. Dr. Fabricio Pontin – PUCRS
Moderator: Prof. Dr. Paulo Konzen – PUCRS

Q&A:

Publicado em Theories of Justice | Deixe um comentário

VI International Symposium on Justice – Videos

Lecture: “The Concept of Justice: How Fundamental is it for Ethics and Political Philosophy?”
Prof. Dr. Christoph Horn – Universität Bonn

Respondent: Prof. Dr. Alessandro Pinzani – UFSC
Moderator: Prof. Dr. Paulo Konzen – PUCRS

Q&A

Friday 23.08.2013

Mesa Redonda “Justiça Social e Direito”
Moderator: Prof. Dr. Agemir Bavaresco – PUCRS

Parte 1:

Prof. Dr. Alfredo Storck – UFRGS
Prof. Dr. Denilson L. Werle – UFSC
Prof. Dr. Wladimir Barreto Lisboa – UFRGS

Q&A

Parte 2:

Prof. Dr. Isabel Limongi – UFPR
Prof. Dr. Norman Madarasz – PUCRS
Prof. Dr. Thadeu Weber – PUCRS

Q&A

Publicado em gttj, Theories of Justice | Deixe um comentário